Espaço-Museu do Rabaçal : Câmara Municipal de Penela

Foto: vista do painel central do triclínio
Foto: mosaico estação do ano "Primavera"
Foto: mosaico estação do ano "Inverno"

Arquitectura

Quanto ao plano de construção da villa, denota uma enorme carga simbólica e desenvolve-se, a partir de um octógono central, octógono que vemos depois reproduzido nas bases das colunas, nos motivos dos mosaicos, na forma da torre octogonal da entrada e no espaço quadrilobado, a noroeste.

A arquitectura erudita desta villa tem, seguramente, uma enorme carga simbólica, a que não é alheia a concepção judaico-cristã do tempo, naquela época. Assim, as vinte e quatro colunas poderão remeter para as vinte e quatro horas do dia e da noite, e isto, a somar ao simbólico do mosaico da quadriga, remete-nos para a contagem dos sete dias da semana (a quadriga perfaz sete voltas ao hipódromo e parte sempre, virada a nascente, ponto central do ciclo do Zodíaco) e para os doze meses do ano (o hipódromo tem doze portas de partida e eram doze os carros de cavalos). Deste modo, a arquitectura da presente villa e a sua decoração falam-nos dos dias, da semana, dos meses e, ainda, das estações aqui representadas simbolicamente por quatro nobres damas que, possíveis retratos, são extraordinárias figuras de convite. Acresce notar que esta villa, dados os referidos materiais em presença, poderá muito bem ter sido pensada para nela decorrerem importantes cerimónias protocolares, próprias de abastados estratos políticos e sociais. Repare-se, sobretudo, na finura dos elementos decorativos e nos eixos de visão das quatro figuras das damas, da quadriga e da figura central, representada sentada no centro do triclinium, para interiorizarmos como os diversos olhares nos acompanham à medida que avançamos nos corredores e nas salas, como que marcando tempos diferentes dum cerimonial.

Os mosaicos e a arquitectura da villa romana do Rabaçal, que, além da influência europeia, exibem também preponderantes influências africanas e orientais, são um seguro motivo de atracção a este lugar. Fique connosco e reflicta o património em presença. Lembre-se de que o Homem, frequentemente, não está tão distante do Outro. Por exemplo, o octógono que aqui é modelar desta arquitectura é o mesmo octógono que, em eixo vertical, temos em algumas igrejas cristãs católicas, em muitas mesquitas e na generalidade das igrejas cristãs ortodoxas (PESSOA, RODRIGO, SANTOS, 2001, p. 48).

possível planta da villa romana

Possível planta da villa romana