Câmara Municipal de Penela

I Seminário - Queijo Rabaçal DOP

  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP
  • I Seminário - Queijo Rabaçal DOP


O I Seminário - Queijo Rabaçal DOP foi o ponto alto da manhã do Mercado do Queijo e dos Romanos, que decorreu no domingo passado, no museu do Rabaçal, com a participação de especialistas ligados ao setor da produção do leite e do queijo.

Carlos Dias Pereira, Professor Coordenador da Escola Superior Agrária de Coimbra foi o primeiro orador com “Lacties – inovação, ecoeficiência e segurança em empresas do sector dos lacticínios”, seguido de Nuno Nobre, consultor de Gastronomia e Turismo, e professor na Universidade Lusófona com a apresentação ”Queijos DOP e a valorização no turismo gastronómico”. As palestras teóricas terminaram com a “Qualidade higiénico-sanitária do leite boas práticas de maneio na ordenha” apresentada por Carlos Daniel Cruz, médico-veterinário, que teve a oportunidade, da parte da tarde, numa visita a um campo de pastoreio no concelho, de exemplificar essas mesmas boas práticas.

O encontro, organizado pela Aprorabaçal com o apoio do Município de Penela, no âmbito do Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro, promoveu a partilha de “boas práticas e soluções”, nomeadamente sobre “a escassez de pastagens e matéria-prima para a produção do queijo”, contexto este que abrange as três Denominações de Origem Protegida (DOP) – Rabaçal, Serra da Estrela e Beira Baixa, num investimento, que ultrapassa os dois milhões de euros, financiados pelo Programa Operacional Regional do Centro 2020.

Nesta dinâmica, pretende-se num futuro próximo, estimular os produtores com projetos que visem o auxílio no desenvolvimento de modelos de negócio, associados ao maneio do gado e à produção do leite, nomeadamente, com uma “escola de pastores e queijeiros”, bolsa de terras para pastores, atribuição de “vale pastor” entre outros.



Data

30/04/2019

Categoria

Desenvolvimento Económico

Partilhar notícia